troca-de-oleo

Troca de óleo: tudo o que você precisa saber hoje!

A revisão tem uma enorme importância para todo e qualquer veículo, para que se mantenham seguros para o seu uso e para que a sua vida se mantenha favorável.

Além disso, ela é necessária em vários momentos, como a venda do carro, uma viagem longa e, em alguns casos, até para poder contratar um seguro auto.

Um dos procedimentos que fazem parte da revisão é a troca de óleo, vamos pontuar cada uma delas, fique atento aos próximos artigos.

Sempre lembrada pelas concessionárias e pela própria montadora a troca de óleo é um dos itens mais importantes na revisão.

Sua finalidade é fazer com que o motor dure por muito mais tempo e evite riscos do carro te deixar “na mão” ou precisar fazer consertos bem caros por causa da perda de potência.

Contudo, nem todos sabem quando é o momento ideal de fazer a troca de óleo e nem o restante da revisão nos veículos.

Isso porque cada um dos modelos de carros têm um período indicado para esse procedimento e todos os seus proprietários podem consultar os manuais dos veículos para ter essa informação.

De toda forma, este artigo vai explicar com um pouco mais de detalhes como funciona a troca de óleo e como descobrir quando ela é necessária no seu carro.

A que prestar atenção na troca de óleo?

troca-de-oleo-trocar-tudo

O processo da troca de óleo tem algumas especificidades para que o motor do veículo não seja danificado.

Além disso, tentar economizar nessa troca pode ter o efeito contrário: quando se coloca um óleo sem qualidade ou procura-se uma oficina sem todas as capacitações, os problemas no motor do carro podem pesar o bolso.

Se você está para fazer a revisão, descubra já o que prestar atenção quando se trata da troca de óleo.

Trocar tudo

Muitas pessoas escolhem trocar somente uma parte do óleo: apenas o lubrificante.

Em muitos casos, trata-se de uma tentativa de economizar, coisa que pode fazer com que se precise gastar muito mais no futuro.

Por isso, é fundamental que, na revisão, faça-se a troca de absolutamente todo o óleo do veículo.

Prestar atenção à marca que se está usando no motor também é indispensável.

É preciso usar as marcas mais confiáveis porque as demais podem trazer diversas impurezas que se grudam ao motor e aos demais componentes, ocasionando defeitos com valores elevados na hora de concertar.

Usar apenas o sintético ou o mineral

Além de tomar cuidado com as marcas menos conhecidas, é muito importante ficar atento também aos tipos de óleos que são usados na troca.

Há algumas bases, como semissintético, sintético ou mineral e nunca se deve colocar mais de um tipo ao mesmo tempo no motor durante a revisão.

O ideal, portanto, é pedir ao funcionário da assistência técnica que faça a substituição completa do óleo.

Quando se tem uma parte do óleo com base mineral e a outra com base semissintética ou sintética, os riscos para o veículo são imensos e a sua vida útil cai.

Levando seu veículo em uma assistência técnica autorizada você não precisa se preocupar em informar qual é a base de óleo que já está no carro.

Lá tem profissionais capazes de identificar a base existente e fazer a troca de óleo de forma segura para o seu veículo, garantindo o melhor aproveitamento do mesmo.

Manter o mesmo filtro é prejudicial

É compreensível que as pessoas queiram trocar apenas o óleo em vez de fazer a troca do filtro de óleo também porque o gasto é maior.

Entretanto, é importante lembrar que esse filtro fica cheio de impurezas e que elas podem contaminar o óleo que acabou de ser trocado.

Dessa forma, o ideal é que se faça um esforço para que o filtro também seja substituído sempre que se faça a troca do óleo, sem se esquecer de que deve ser um filtro de confiança.

Diante de todas essas situações o mais seguro é realizar as trocas de óleo em uma assistência técnica autorizada.

Afinal, eles tem total responsabilidade sobre as revisões e avaliam o seu carro por completo, deixando sua troca mais segura e  confiável.

Quando fazer a troca de óleo dos veículos da Volkswagen?

quando-fazer-a-troca-de-oleo-dos-veiculos-da-volkswagen

Como dito, os manuais dos veículos de todas as montadoras têm a indicação de quando a troca de óleo precisa ser feita, destacando-se que ela não acontece uma vez só, mas sim com periodicidade para que o carro funcione sempre bem.

De toda forma, grande parte dos veículos da Volkswagen precisa ter o seu óleo (e, preferencialmente, o filtro de óleo) trocado a cada um ano ou quando completar 10.000 quilômetros rodados.

Dentre os veículos da empresa que se encaixam nessa especificação, há o Fox, Golf, Passat, Amarok, Voyage, Saveiro, Jetta, Gol e Tiguan.

É fundamental lembrar-se de que pessoas que rodam muito com o veículo podem não esperar a revisão Volkswagen a cada um ano: se o marcador do carro mostrar 10.000 quilômetros rodados, é o momento de procurar nossa assistência técnica, que tem os melhores óleos, filtros e profissionais.

Além disso, caso a última troca de óleo não tenha sido feita por um bom profissional ou tenha sido usado óleo de má qualidade, é possível que o motor comece a dar sinais antecipados de que está recebendo impurezas.

Dessa maneira, será preciso fazer a troca de óleo mais rapidamente.

Quais são as consequências de não realizar a troca de óleo corretamente?

O período de revisão precisa ser respeitado, inclusive com a troca de óleo, porque é esse cuidado que assegura que os veículos funcionem bem por mais tempo, que toda a potência do motor seja aproveitada e que não haja danos em sistemas importantes.

A principal consequência quando se é displicente com relação à troca de óleo no período correto é a possibilidade de perder o motor.

Isso porque as impurezas acumuladas começam a afetar o seu desempenho.

Dessa maneira, quando o motor “arreia” com muita facilidade ou quando se dá a partida e ele não arranca de jeito nenhum, há grandes chances de a responsabilidade ser do óleo e do filtro de óleo.

Nesses casos, porém, não adianta apenas fazer a troca: se a demora para a revisão foi tanta que o motor chegou a ser afetado, será necessário reparo no próprio motor.

Além das impurezas, é preciso ressaltar que o óleo que não está devidamente limpo perde a capacidade de lubrificar as peças e, conforme elas acabam se arranhando, têm de ser trocadas.

Gostou do artigo ou tem alguma dúvida comente abaixo e veja mais artigos em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *